News

16/Nov/2017

O que realmente causa boa impressão no mercado de trabalho?

A aparência é um cartão de visitas, sim, mas você fideliza clientes realmente pela postura, atendimento e educação. 

Em entrevista para a Exame.com, Gloria Kalil, jornalista, consultora e empresária, falou sobre etiqueta e como ser chique - principalmente no trabalho. Para ela, etiqueta não tem a ver com vaidade, mas com civilidade. É vista como uma pequena ética do cotidiano, são normas que fazem com que a sociedade funcione. Para Gloria, chique é a pessoa que possui um equilíbrio entre a sua aparência e conteúdo. 
Em tempos de crise e desemprego, há muitas pessoas qualificadas em busca das mesmas vagas, portanto, o modo como o candidato de veste e conversa o diferencia dos outros. Para a empresária, atualmente, a moda não possui regras tão rígidas. Tudo está na moda e cada um se veste com o que se identifica. O funcionário deve estar de acordo com os códigos de vestimenta praticados pela empresa. Se ele trabalha em uma empresa informal, é deselegante se vestir formalmente, assim como o contrário. Gloria também defende que o guarda-roupa de trabalho seja um guarda-roupa à parte.
Gloria Kalil alerta sobre a gestão da imagem profissional nas redes sociais. Hoje com a internet, é preciso ter cuidado com as publicações, pois elas podem agregar uma imagem negativa para o patrão ou a empresa onde se trabalha. Também é necessário ter cuidado com os smartphones. Em uma reunião, por exemplo, ele deve permanecer guardado e no silencioso, a menos que esteja a espera de uma ligação urgente. Respeitar o próximo é ser elegante! 






Comentários